Suficientemente dedicados

Suficientemente dedicados

 

 

Humano suficientemente humano

Psicanalista Donald Winnicott comentou sobre a “Mãe Suficientemente Boa”, não perfeita, além de prover as necessidades, também falha – o tempo todo – e está continuamente corrigindo essas falhas.

Penso que posso transferir essa ideia para qualquer coisa que me dedique:

Cozinheira suficientemente boa

Aluna suficientemente aplicada

Esposa suficientemente presente

Avó suficientemente criativa

Budista suficientemente dedicada.

Etc etc etc

Em todas as formas de experimentar a vida vou cometer erros e acertos, mesmo tendo boa motivação.

Muitas vezes nem vou descobrir se estava certo ou errado.

O que conta mesmo é ser fiel a si mesmo e não se exigir perfeição.